Testosterona e Massa Muscular em Mulheres

Assunto polêmico demais. Mas, como observo diariamente mulheres se apavorando com valores baixos de testosterona apresentados nos exames de sangue comuns, chamei meu amigo @gustavomonneratphd para escrevermos algumas observações sobre isso. Vou dar uma visão nutricional da questão. Antes de tudo, gostaria que o Gustavo explicasse bem que a metodologia utilizada atualmente nos laboratórios para dosar testosterona não é eficaz para mulheres. 

Mulheres têm testosterona baixa. Isso é um fato. Somos diferentes dos homens e temos faixas de concentração de hormônios diferentes. A maior parte da testo é produzida nos testículos (órgão masculino). A pouca quantidade feminina é produzida apenas pelos ovários e adrenal. E ela não é a única responsável por questões clássicas, como libido e ganho de massa muscular. Muita gente “culpa” exclusivamente a testosterona mais baixa pela ausência desses 2 fatores. Porém, há evidências mostrando que é possível haver hipertrofia mesmo em mulheres com esse hormônio mais baixo. Há outros fatores e hormônios que sinalizam hipertrofia, como insulina, e podem ser utilizados quando o objetivo é este. 

Na parte nutricional, o que devemos levar em conta principalmente seria manter a concentração dos precursores da testosterona (colesterol) em quantidade suficiente. Dietas muito restritas, com o valor calórico muito baixo e/ou sem a presença de alimentos fontes de ômega 3 diários podem ser um problema além de alguns micronutrientes. 

Quanto à parte analítica, grande parte da testosterona sanguínea encontra-se ligada a proteínas circulantes, como SHBG e albumina. No entanto, os testes de laboratório tradicionais, na maioria das vezes, não possuem sensibilidade o suficiente para dosar a testo livre em mulheres, tendo que criar métodos alternativos e alguns cálculos, não tão precisos, além de possuírem baixa especificidade. Fique atento a isso, mas tenha em mente que este hormônio não é único responsável pelo seu ganho de massa e performance. Não queira subir a qualquer custo a sua dosagem no exame de rotina. E, lembre-se a suplementação deste (mesmo que na forma de creme é considerado doping!).