HIDRATAÇÃO NA CORRIDA – Dicas para Maratona:

Distúrbios do equilíbrio hidroeletrolítico podem afetar negativamente a função celular chegando a atrapalhar toda a função sistêmica e o desempenho na atividade. Atitudes práticas e relativamente simples podem melhorar (ou não deixar cair) a sua performance.Então vamos às “dicas”:

Mesmo uma leve desidratação pode aumentar o esforço cardiovascular; causando um aumento desproporcional na frequência cardíaca; além de limitar a capacidade de transferir calor, o que poderia gerar uma complicação térmica.

A preocupação com a hidratação começa antes da atividade (na prática a ingestão de 400 a 600 ml de água 2h antes dá tempo suficiente aos rins de regular o volume liquido corporal) . Indivíduos que já começam a atividade hipoidratados reduzem a capacidade de dissipar calor durante a atividade (suar).

Muita gente não consegue ingerir a quantidade de água perdida em uma atividade. Uma estratégia para melhorar a ingestão seria adicionar um sabor doce à água (adicionando carboidratos). Para melhor absorção (e garantir que não haja desconforto gástrico) o ideal é uma concentração de carboidratos de 6 a 8% (ou seja, 6g de carbo em 100 ml de água) – geralmente as bebidas isotônicas já vêm nesta concentração.

É fato que a reposição de líquidos “perfeita” durante o exercício não pode ocorrer sem a reposição eletrolítica. É muito difícil calcular exatamente o quanto de sódio se perde no suor, uma vez que esta quantidade varia muito com a intensidade e condições climáticas, mas a recomendação seria 0,5 a 0,7g de sódio por litro de água.

Fracionando, poderia ser recomendado a ingestão de 150 a 300ml de líquidos (assim preparados) a cada 30 min de exercício.

É constatado que a temperatura da mesma também influencia na ingestão. Líquidos mais gelados (entre 15 e 21 graus) são bem mais palatáveis e tolerados.

Aproveite a prova e Boa corrida!