COMIDA CERTA NA HORA CERTA: alimentação ao redor do treino

Resolvi escrever sobre este assunto hoje pois recebo diariamente várias perguntas pedindo “dicas” ou pequenas orientações sobre o que comer para render melhor nos treinos. Refletindo sobre isso, eu entendi o grande erro ao redor deste assunto!

 

Me parece óbvio que não consigo responder esta questão sem saber sobre a alimentação do dia inteiro do indivíduo! Isso porque é muito claro que para responder essa “simples pergunta” eu tenho que raciocinar em cima de uma alimentação do dia inteiro e até sobre o pós treino do dia anterior! Sem exageros! Preciso saber como estão os estoques de glicogênio, como foi a distribuição da proteína e qual será a intensidade do exercício; ou seja, é impossível responder esta pergunta para alguém que eu não conheça a rotina de treinos e alimentação.

 

Desta forma entendi claramente o dilema sobre precisar ou não de um “pré/ pós treino”. Na minha cabeça é óbvio que tenho que pensar nas refeições ao redor do treino me referindo a “prés e pós” treinos! Isso porque preciso considerar um treino (bem feito) como um “gerador” de estímulos de vias importantes no metabolismo como um todo (inclusive as mudanças epigenéticas abordadas no post anterior).

 

Com isso, não tenho como começar a raciocinar em cima de um programa nutricional sem saber o horário de treinamento para depois pensar em como estará o metabolismo antes e após este exercício (dependendo da intensidade, posso mudar completamente o macronutriente consumido). Desta forma, quando me refiro a alimentação pós treino, não necessariamente estou dizendo só o que comer logo após o treino, mas sim, em todo o período seguinte. Da mesma forma, ocorre com o pré: dependendo de como foi a recuperação anterior, eu preciso ou não incluir um carbo, por exemplo, neste momento.

 

Então, para os que banalizam a nutrição esportiva dizendo que o que vale é apenas o total de macronutrientes do dia, eu discordo. No dia a dia, vejo como podemos evoluir no esporte encarando a atividade sim como um fator determinante para a divisão da alimentação no dia!

 

.