Tentação Sempre

Parece que basta você prometer começar a dieta para chover convites a jantares e festas. É só parar de beber para aparecer um monte de amigos chamando para um chopp no final do expediente. Então, você cai em tentação.

 

 

Explicando de forma leiga, a tentação é uma sensação de que existe um anjinho e um diabinho estrategicamente posicionados para nos confundir, fazendo nosso cérebro praticamente entrar em parafuso na hora de decidir entre o sim e o não. Mas, apesar de difícil, não é impossível controlar nossos impulsos.

Podemos aprender a refreá-los por meio da auto-observação, analisando como esse processo ocorre. Nossas vontades incontroláveis estão, geralmente, relacionadas às atitudes ou comportamentos que, por algum motivo ético ou de nossa própria determinação, não poderíamos ter. Como um esquema, que desde o gatilho (aquilo que desperta o desejo) até a ação propriamente dita de saciar determinada vontade, funciona o que normalmente chamamos de tentação. Para conseguir resistir a algo, é preciso entender quais são os gatilhos, ou seja, as causas que despertam o querer incontrolável de fazer alguma coisa. Os gatilhos podem ser emoções, situações e até pessoas.

Por isso, é preciso perceber o que você faz toda vez que se sente nervosa e/ou ansiosa: Come mais? Fuma mais? E, a partir desses sinais, ficar alerta. A solução é sempre parar logo no início dos gatilhos. É impossível “deixar de sentir”, mas o caminho da vida equilibrada é buscar atitudes saudáveis para canalizar as emoções.

 

Texto do “Sala de Ideias” – saladeideias.com.br
Escrito por:  Fabiane Curvo