0

SUOR – SERIA UM “TERMÔMETRO” PARA A OXIDAÇÃO DE GORDURA?

Ao iniciar uma atividade, muitas pessoas “gostam” ou se sentem melhores quando o suor acontece. Isso faz sentindo! Não posso afirmar que sempre que suamos estamos utilizando gordura corporal como fonte de energia para atividade, pois suamos também por outras razões (que não envolvem atividade física), mas diria que, grande parte das vezes, o suor poderia ser um indicativo que estamos utilizando gordura como fonte de energia para a realização do treino.

Vamos à bioquímica explicar o raciocínio:

O corpo humano (ou melhor a mitocôndria) não é capaz de transformar 100% do alimento em energia para a atividade. Estima-se que 40% dessa energia é perdida na forma de calor. Essa geração de calor ocorre através de uma proteína chamada UCP. Ela está presente nas mitocôndrias e funciona como um “catalisador” de reações.

 

Quando iniciamos uma atividade física, liberamos ácido graxo (vindo da “quebra da gordura”) no sangue. Esse ácido graxo entrará na mitocôndria para gerar energia na cadeia respiratória (o jejum e hormônio tireoidiano T3 também podem fazer isso, mas hoje, vamos focar no exercício). No final desta cadeia liberamos ATP – molécula de energia para a atividade.

 

Ao mesmo tempo, a presença deste ácido graxo na corrente sanguínea ativa UCPs que irão catalisar uma reação importante para o metabolismo de gorduras (o retorno de prótons para a matriz mitocondrial). Quando isso é feito, parte da energia gerada não é convertida em ATP, mas sim é perdida/ liberada na forma de calor (o que te faz suar).

 

Traduzindoquanto mais gordura (vinda do tecido adiposo) quebramos para gerar energia para uma atividade, mais calor estamos gerando com a reação (visto que quase 40% da energia é perdida na forma de calor).

 

Para quem não está tão adaptado assim aos treinos, pode ser que a inclusão de alguma fonte de gordura de rápida utilização no pré treino, possa favorecer ativação de UCP. Por isso, em alguns casos, a gordura de coco (ou triglicerídeos de cadeia média – mct), por exemplo, pode ser utilizada como um pré treino para aumentar termogênese. Mas, entenda.. Isso EM ALGUNS CASOS – dependendo da alimentação e do nível de treinamento do indivíduo. Entende por que ela não é “boa” e nem “ruim”? Simplesmente ela funciona em alguns casos e não em outros! Tem que haver um raciocínio bioquímico por trás! Não simplifique tanto a nutrição! A gordura de coco pode te fazer bem ou mal, depende de como você é, de como você treina e do que você come!

 

O jejum e o hormônio tireoidiano T3 também podem liberar ácidos graxos e ativar UCP, mas, nem tudo  é tão simples assim… Por isso, vamos deixar para discutir os outros “gatilhos” em um texto futuro.

 

 

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

avatar

Julia Engel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *