0

CROSSOVER ENERGÉTICO – A IMPORTÂNCIA TANTO DA GORDURA QUANTO DO CARBOIDRATO COMO FONTE DE ENERGIA

A discussão da moda há um tempo é: dieta low carb? Cetogênica? Ou manter os tradicionais carbos, quando focamos em performance nos treinos de endurance?

Eu sempre defendi que estratégias nutricionais devem ser usadas (dependendo de quão longe está a sua prova alvo) para fazer com que o atleta esteja bem adaptado tanto a utilização de carbos, quanto de gorduras (e corpos cetônicos) como fonte de energia para a atividade.

Explicando melhor a parte nutricional do assunto: Em uma atividade longa, de endurance, a principal via energética a ser utilizada seria aeróbia. Nesse sistema energético, podemos usar tanto a glicose quanto a gordura (ácidos graxos) como fonte de energia para a atividade. Ambos entrarão no ciclo de Krebs gerando ATP de forma aeróbia no final.

A vantagem de estar adaptado a utilização de gordura se dá pelo fato desta reserva ser muito maior (mesmo para atletas com baixo percentual de gordura corporal) do que o a de glicose. A única fonte de armazenamento de glicose está na forma de glicogênio, a qual é bastante limitada! Usando a gordura como principal fonte, podemos “guardar” a glicose para momentos mais anaeróbios os da prova.

Por mais que grande parte da prova, em teoria, mantemos o atleta numa zona aeróbia, em alguns momentos, a “zona anaeróbia” será solicitada. Nesses momentos a glicose será fundamental e insubstituível para gerar energia (momentos de maior esforço, onde a freqüência sobe – como numa subida íngreme ou momentos em que a adrenalina está mais alta mesmo).

Por isso a importância deste “crossOver”; Ou seja, ser capaz de utilizar e modificar rapidamente as fontes de energia disponíveis (ter todas as enzimas para todas as vias).

Para isso, temos sim que adaptar o corpo para usar corpos cetônicos e gordura como fonte de energia, mas sem deixar de lado a adaptação para o carbo… ou, em momentos mais anaeróbios da sua prova, o carbo pode fazer grande falta!

Bons treinos!


avatar

Julia Engel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *