0

Por quê “quebrou”?

Mathieu Van der Poel “quebrou” no Campeonato Mundial de ciclismo de estrada Domingo. O ciclista de 24 anos não deu muitos detalhes sobre alimentação; Desta forma, não podemos afirmar o que aconteceu metabolicamente que justifique isso. Mas, podemos supor algumas questões importantes de serem trabalhadas. 

O atleta afirmou ter se sentido “tonto e vazio” durante a prova. Palavras dele: “foi muito estranho. Eu estava super bem e, do nada, me senti vazio (…). Não tinha pernas. Isso nunca tinha acontecido, mas eu nunca tinha pedalado 261km na chuva”. Ele, que era dos favoritos, quebrou e terminou em 43 lugar.

O que pode ter acontecido?

Não posso afirmar, mas acredito que parte do problema aconteceu pela mudança de metabolismo que ocorre quando treinamos nessas condições. “Estava extremamente frio”, disse ele.

Em baixas temperaturas, algumas mudanças metabólicas ocorrem e devem ser consideradas! A utilização de carboidratos aumenta e a utilização de gorduras reduz; ou seja, o seu “estoque” vai acabar mais rápido! 

Talvez seja interessante pensar em aumentar o fornecimento de carbos durante quando pensamos num ambiente frio. Não adianta tanto, neste caso, ceto adaptar ou fornecer gordura/ corpos cetônicos como energia. A estratégia tem que ser aumentar carbo mesmo, seja na caramanhola e sólidos/ gel. Pensaria em 80 a 90g de carbo/h. Mas, obviamente, o atleta tem q estar adaptado a isso (ou terá uma bela dor de barriga). Alem deste maior consumo de carbo, a produção de lactato tb aumenta e a remoção deste reduz, por redução do fluxo sanguíneo no músculo (o que pode acidificar e fazer a “perna queimar”). Assim, algum tamponamento tb seria interessante (beta alanina? Bicarbonato?). Quem sabe essas estratégias não podiam ter minimizado tudo isso!? @mathieuvanderpoel .


avatar

Julia Engel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *